PDT de Brizola

Você sabe o ano em que o PDT foi fundado? Conhece as histórias de luta do Partido? Sabe quem foi o Brizola? Então, apesar de ser recém-chegado aqui em Paulista, o partido tem muitos anos de jornada política. E é justamente se inspirando nessas lutas que seguimos nossa jornada. Quer saber mais sobre elas? É só ler o texto abaixo e se manter informado!


“A educação é o único caminho para emancipar o homem. Desenvolvimento sem educação é criação de riqueza apenas para alguns privilegiados” – Leonel Brizola

Não seria exagero afirmar que com esta frase, Brizola haveria de entrar para a história do Brasil. Pois assim Leonel de Moura Brizola (1922-2004) era popularmente conhecido: como um grande defensor da educação. O seu esforço pela implantação dos Centro Integrados de Educação Pública – os CIEPs, também conhecido como “Brizolões”, nos anos em que governou o estado do Rio de Janeiro (1983-1987 / 1991-1994), ficou registrado no consciente coletivo de todo o Brasil e, ainda hoje, é lembrado com profundo carinho e admiração por todos. Não é para menos.

Os CIEPs eram escolas públicas de ensino integral que propunham uma educação de qualidade para as crianças mais pobres, concedendo-lhes autonomia e dignidade. Mas, ainda que fundamental, a história de Brizola não se resume aos CIEPs e, portanto, precisamos voltar alguns anos no tempo.

Natural do Rio Grande do Sul e de origem humilde, desde muito cedo Brizola abraçou a causa trabalhista como sua principal bandeira de luta. Inspirado pela Revolução de 30 que culminou com a ascensão de Getúlio Vargas, líder nacionalista que promoveu uma série de avanços em prol dos trabalhadores, filiou-se ao Partido Trabalhista Brasileiro (PTB) e, dali em diante, não parou mais. Brizola foi um forte defensor da legalidade, lutando ao lado de João Goulart contra as investidas militares que desencadearam o golpe de 1964.

Exerceu mandatos como deputado, prefeito, governador, foi exilado por sua luta em prol do povo durante a ditadura militar e passou 15 anos impedido de voltar para o país. O seu retorno marca o início do PDT na história da política brasileira.

O Partido Democrático Trabalhista – PDT – é a renovação do PTB, que após sofrer uma série de interferências orquestradas pela ditadura, já não correspondia mais aos interesses do povo. Brizola, juntamente com Darcy Ribeiro e outros companheiros do antigo PTB, fundaram o PDT em 1979, amparados sobre os ideais trabalhistas, do socialismo democrático, da liberdade e da luta pela soberania do povo. Intitulado como “Novo Trabalhismo”, o PDT de Brizola nasceu com o mesmo objetivo de seu fundador maior: a luta pelo povo brasileiro.

Brizola, nos anos seguintes, levou as bandeiras do PDT para onde quer que fosse. Foi eleito duas vezes governador do Rio de Janeiro pelo partido (período em que imortalizou-se através da luta pela educação) e duas vezes candidato à Presidência da República, ambas sem sucesso.

A escalada neoliberal, combatida duramente por Brizola desde o seu surgimento, impossibilitou que suas ideias fossem escolhidas pela maioria da população.

Contudo, Brizola continuou exercendo seu fundamental papel político, propondo, debatendo e combatendo aqueles que se colocavam contrários à luta pela soberania nacional. Graças a Brizola, o PDT pôde crescer, tornando-se um dos partidos mais relevantes do país.

Brizola faleceu em Junho de 2004, aos 82 anos, deixando um legado irretocável. Porém, o PDT resguarda todos os fundamentos de sua luta e tem, ainda hoje, em Brizola sua principal referência, seu principal líder. Não é possível falar do PDT sem falar de Brizola, pois não há um sem o outro. Enquanto o PDT estiver de pé, Brizola viverá.

Arquivo do PDT Nacional – 25/05/2018

A História do PDT

O Partido Democrático Trabalhista – PDT – foi fundado em 17 de Junho de 1979, em Lisboa. Concebido como uma renovação do Partido Trabalhista Brasileiro (PTB), outrora composto por lideranças históricas como Getúlio Vargas e João Goulart, o PDT surgiu através o encontro dos trabalhistas brasileiros que haviam sido exilados durante a ditadura militar. Sob a liderança de Leonel Brizola, os trabalhistas traçaram as diretrizes que regeriam o partido à luz da Internacional Socialista.

O ex-primeiro ministro português, o socialista Mário Soares, esteve presente no ato como representante simbólico do movimento. Neste encontro foi elaborada a “Carta de Lisboa”, primeiro documento oficial do PDT, reunindo todas as bases que haveriam de guiar o novo partido.

O retorno dos exilados ao Brasil, nos anos finais da ditadura militar, impôs duros desafios aos trabalhistas repatriados. Após uma tendenciosa articulação militar, o PTB foi entregue nas mãos de políticos sem qualquer compromisso com os ideais fundadores do partido. A ação causou revolta e indignação por parte das lideranças do partido que, energicamente, tomaram providências para anunciar a nova sigla, reafirmando o compromisso popular. Consolidava-se, assim, o PDT como a renovação dos ideais democrático-trabalhistas no Brasil.

Ainda no início da década de 80, foram aprovados o estatuto e o manifesto do PDT. O Manifesto expõe os princípios do partido e aborda os seus sete compromissos principais. São eles, nesta ordem: crianças e jovens, trabalhadores, mulheres, negros, índios, a defesa da natureza e o compromisso com a soberania nacional. Tais compromissos, ainda hoje são princípios pétreos do partido, denotando consolidação e força ideológica.

Ao longo dos últimos 40 anos, o PDT sempre se colocou em favor do povo brasileiro, a despeito dos interesses da elite dominante e do capitalismo predatório. Tal conduta, visível através das ações de seus representantes, elevam o partido a um patamar de extrema credibilidade na sociedade como um todo. O PDT é um partido que cresce com as conquistas do povo, na medida em que os modelos que perpetuam a desigualdade se desmoralizam. É a soma dos esforços de verdadeiros brasileiros. É o partido de Getúlio, de Jango, de Brizola, de Darcy, de Ciro e de muitos mais que se juntam a cada dia. O PDT é de todos.

“A principal marca do trabalhismo, as pernas que fazem ele andar, são o compromisso com o trabalhador e um projeto nacional, cuja meta principal é a educação. Uma educação com toda a profundidade que se possa imaginar”

Carlos Lupi, presidente nacional do PDT
(Fundação Leonel Brizola, 29 de Outubro de 2019)

Arquivo do PDT Nacional – 01/07/2019

PDT e Ciro Gomes

Ciro Ferreira Gomes é um político, advogado e professor universitário brasileiro. Com 62 anos de idade e quase 40 anos de vida pública, o trabalhista nascido em São Paulo e radicado no Ceará é um filho do Brasil. Iniciou sua trajetória política muito cedo, acumulando feitos, prêmios e experiência por onde passou.

Com uma qualificação técnica e inteligência admiráveis, Ciro sempre se dedicou a trabalhar em função do povo, de forma consistente e racional. Suas competências o levaram a exercer diversos cargos na vida pública.

Já foi deputado, prefeito, governador, ministro da república por duas vezes, presidente da Transnordestina e diretor da Companhia Siderúrgica Nacional. Filiado desde 2015 ao PDT, partido onde ocupa o cargo de vice-presidente nacional e por onde se candidatou à presidência da república no ano de 2018, Ciro levanta as bandeiras do trabalhismo e da necessidade de criação de um Projeto Nacional de Desenvolvimento.

Isento de denúncias ou de envolvimento em escândalos de corrupção ao longo de quatro décadas, Ciro se distingue de grande parte dos políticos brasileiros, fazendo uso de sua reputação honesta para ser uma importante voz no combate às desigualdades do país.

Hoje, Ciro Gomes figura entre as principais lideranças políticas do Brasil, com milhões de apoiadores dentro e fora do país. Sua luta faz jus às causas sociais, motivo pelo qual escolheu o PDT como sua sigla. Ciro é mais um grande brasileiro reunido em torno dos princípios fundamentais pela defesa do nosso povo. Um brasileiro que dedica sua vida em prol de um país melhor e mais justo para todos.

I Converção Municipal do PDT Paulista/PE – 08/02/2020

PDT de Paulista/PE

Com 40 anos de história na vida pública nacional, o PDT iniciou sua trajetória na cidade de Paulista/PE há pouco tempo. Em 2021, o partido comemora dez anos de sua chegada no município. Contudo, a sua primeira década na cidade foi permeada por uma série de contratempos e disputas internas que se iniciaram desde a formação da sua composição provisória, impondo ao partido trabalhista um longo período de incertezas e indefinições.

Foi apenas com a chegada de Fábio Barros, em 2019, que o partido interrompeu seu período de inatividade, ganhando assim um novo impulso para se estabelecer definitivamente em Paulista.

Agora, amparado por novas mentes e com a formação de uma nova comissão provisória, as filiações foram retomadas e foi dado início ao processo de eleição do 1º Diretório Municipal do PDT em Paulista/PE. Através de sua 1ª Convenção Municipal, no dia 07 de Fevereiro de 2020, foram escolhidos os membros titulares e suplentes da Comissão de Ética e do Conselho Fiscal.

Quatro dias depois, no dia 11 de Fevereiro, foi realizada a eleição da Comissão Executiva, que contou com a presença de larga maioria do Diretório já eleito, através da Convenção.

Nesta ocasião, Fábio Barros e Silva foi eleito presidente municipal do PDT, cargo sob o qual exercerá representação durante o biênio 2020-2022. Após a escolha dos demais membros da Comissão Executiva, assim estava concluída a composição do Diretório Municipal, composto majoritariamente por mulheres.

Ao todo são 37 mulheres, em um total de 52 pessoas que estarão na composição do Diretório até o término de seus mandatos, em 2022. Uma caraterística que, para além da simples representatividade, se faz extremamente importante nos dias de hoje, através da luta pelo empoderamento feminino como forma de reparar históricas contradições sócio-culturais.

Dessa forma, podemos assumir com serenidade que todos os percalços pelos quais o Partido Trabalhista Brasileiro passou até fincar de vez suas raízes no solo do município do Paulista/PE, foram lições que proporcionaram um reinício ainda mais justo e comprometido com a população.

Hoje, o PDT já conta com mais de dois mil filiados e é, sem dúvida, um dos partidos mais propositivos e atuantes da cidade. Sempre prezando pelo bem-estar social e pelo respeito à liberdade de todos. Ainda há muito a ser feito e muitos desafios para superar. Mas para todos eles, agora temos uma certeza: Paulista conquistou um grande aliado: O PDT.