Câmara aprova lei que proíbe fogos e fogueiras em Paulista/PE

Última atualização:

Tradicionais nos festejos juninos, os fogos e as fogueiras não farão parte do São João de Paulista este ano. A Câmara de Vereadores aprovou em regime de urgência, nesta quinta-feira (11), em sessão virtual, o projeto que encaminhamos, que proíbe o acendimento e comercialização de fogueiras e a queima e comercialização de fogos de artifício, por conta da pandemia do novo coronavírus. Isso porque, os doentes podem ser ainda mais prejudicados pela fumaça que afeta justamente o sistema respiratório-pulmonar. O projeto foi encaminhado ao prefeito Junior Matuto para que a lei seja sancionada. É importante lembrar que Paulista já registra mais de 2.200 casos confirmados da doença e ultrapassa 170 óbitos pela Covid-19.

“Precisamos ter a compreensão do momento em que estamos vivendo. Não podemos acender fogueiras nesse período em que precisamos manter o distanciamento social e respeitar as pessoas que estão em casa e nos hospitais. A fumaça pode agravar a saúde das pessoas que têm doenças respiratórias, como asma, pneumonias e bronquites. E não podemos esquecer que quem tem doenças respiratórias está mais vulnerável ao novo coronavírus e quem contraiu a doença pode ter o quadro de saúde seriamente agravado por causa da fumaça. É uma questão de humanidade, de respeito com o outro”, disse Fábio Barros.

Além dos pacientes da Covid-19, os fogos e fogueiras podem causar desconforto físico e emocional a crianças muito pequenas, idosos e portadores de condições especiais, como autismo. “No caso das pessoas com Transtorno do Espectro Autista (TEA), o barulho pode causar um alto nível de ansiedade e estresse, episódios em que ficam muito tensas, choram, gritam, tapam desesperadamente os ouvidos e, em alguns casos, podem se machucar ou desenvolver convulsões”, afirmou o presidente do Legislativo Municipal.

Animais de estimação

Se para os humanos o som da explosão de fogos de artifício pode incomodar e assustar, imagine quais são os impactos dos fogos de artifício em animais domésticos, que possuem ouvidos muito mais sensíveis a barulhos e ruídos?

O barulho dos fogos de artifício deixa os animais desesperados. Muitos fogem apavorados e acabam perdidos e/ou atropelados; outros na ânsia de se livrarem do intenso barulho terminam enforcados em suas próprias correntes, coleiras; alguns animais têm convulsões; há ainda os que pulam das janelas de apartamentos, tamanho o pavor que sentem dos fogos. Não é difícil que um animal mude completamente seu comportamento após passar pela tortura de não ter como se livrar da intensa queima de fogos.
“Os animais ouvem o barulho dos fogos, com intensidade até 500 vezes maior que os humanos, e sem estrutura lógica para entender essas explosões, elas produzem um medo inimaginável que pode matá-los. Todos nós sabemos que o brasileiro tem seu pet como parte da família e ele cumpre o papel de amigo incondicional. Os animais de estimação nos servem como uma fonte inesgotável de amor e companhia e é um apoio emocional muito importante para muita gente. Precisamos também protegê-los”, concluiu Fábio.