Atendimento psicológico virtual: isolamento social tem feito aumentar casos de ansiedade e depressão

Última atualização:

Diante da pandemia do coronavírus, o isolamento social se faz cada dia mais necessário como uma das principais e mais eficientes formas de prevenção ao vírus, que afeta mais de 66 mil pessoas e conta com mais de 4 mil mortes, no Brasil, atualmente. Segundo especialistas, o isolamento social é necessário no combate à covid-19, mas tais medidas, podem acarretar em outros problemas, a medida em que se tornam cada vez mais extensas e intensas.

Atualmente, em decorrência do distanciamento social, um número cada vez maior de pessoas tem sofrido de ansiedade, depressão e outros transtornos psicológicos e familiares. Muitas vezes, por estarem em casa e sendo “bombardeadas” o tempo todo por informações – relevantes – que revelam, cada vez mais, o crescente número de casos de infectados e óbitos por covid-19, assim como tratam da importância das medidas de isolamento e higienização, no Brasil e no mundo, algumas pessoas tendem a absorver estas informações sem estabelecer o filtro necessário para garantir a estabilidade emocional e psicológica, necessárias, para evitar o pânico e a ansiedade.

A ausência de contatos físicos tem sido um dos fatores preponderantes para tais crises. A insônia, que já faz parte da rotina da maioria dos brasileiros, foi intensificada com a pandemia. São pessoas com estresse, angústia, raiva, sobrecarga emocional, e até mesmo depressivas que perdem o sono e o isolamento social parece um mundo sem saída. Da mesma forma, as medidas de higiene, necessárias para minimizar os riscos de contágio de covid-19, também tem gerado, na maioria dos casos em mulheres, em decorrência de uma cultura machista, onde elas são as responsáveis pelos afazeres domésticos, uma alta carga de estresse físico e emocional, posto que não se trata mais de manter a casa limpa apenas por questões estéticas, obrigação moral, ou até mesmo por hábito, mas por questão de qualidade de vida – até mesmo de sobrevivência – e como forma de combater o coronavírus. Esta carga de responsabilidade, que se soma às questões relativas ao “excesso” de informação sobre o tema, tem contribuído significativamente para o estado de estafa mental de muitas pessoas, e até mesmo estafa física, no caso daqueles que terminam por fazer a limpeza da casa várias vezes ao dia.

Outro fator que tem contribuído para esse aumento nos casos de crise de ansiedade e depressão, tem sido as dificuldades enfrentadas no processo de cadastro, aprovação e saque do auxílio emergencial. A insegurança financeira, que muitos brasileiros têm enfrentado, sobretudo autônomos e trabalhadores informais, neste momento de pandemia, somado às informações constantes que recebemos e ao aumento da carga de responsabilidade doméstica, tem sido um grande gatilho para muitas pessoas que se encontram fragilizadas psicológica e emocionalmente.

Neste sentido, vários profissionais da área e instituições que oferecem serviços de atendimento psicológico, sensibilizados com as condições em que esta parcela da população se encontra, emocionalmente e psicologicamente fragilizadas, com o agravante das dificuldades financeiras, têm disponibilizado canais de atendimento virtual ou via telefone, gratuitos, para gerar o mínimo de conforto e consolo para estas pessoas.

Um destes canais é o Centro de Valorização da Vida, que disponibiliza “apoio emocional e prevenção do suicídio, atendendo voluntária e gratuitamente todas as pessoas que querem e precisam conversar, sob total sigilo por telefone – no número 188, ligação gratuita -, email e chat 24 horas todos os dias.” Para ter acesso a este apoio, você pode acessar o link: https://www.cvv.org.br/

Outro canal de atendimento, neste aspecto, é o Bem.Care que, sensibilizados com a situação atual, estão disponibilizando “atendimento psicológico online gratuito – até o dia 30 de setembro -, para ajudar a população brasileira a vencer a pandemia do coronavírus.” Para buscar ajuda, neste canal, basta clicar no link: https://bem.care/covidzero/

Aqui, na região metropolitana de Recife, encontramos, também, outras iniciativas como estas. Uma delas é da faculdade Esuda, através do projeto Incubadora Serviço Escolar, oferecendo plantão psicológico, gratuito, através de vários números, constantes nesta imagem abaixo.

 

Já em Paulista/PE, a prefeitura da cidade disponibilizou dois números para atendimento psicológico via telefone, sendo eles: (81) 9. 9981.0553 e o 9. 9981.0911, e o horário de atendimento é de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h

É de suma importância que as pessoas busquem por esses atendimentos, e também entendam a importância da disponibilização do atendimento psicológico através dos sites e aplicativos, pois em momentos de isolamento social, ansiedade, angústia, depressão e até pensamentos suicidas, podem ser agravados. Fornecer atendimento gratuito é cuidar de todos que não podem sair de suas casas, e que estão desenvolvendo problemas mentais devido ao isolamento social causado pelo coronavírus.