Sustentabilidade em destaque na VIII Bienal do Livro de Pernambuco

Última atualização:

A VIII Bienal Internacional do Livro de Pernambuco terá como um dos seus eixos a gestão sustentável do evento. Além da integração ao tema geral deste ano, “Literatura e Cidadania” que abrange necessariamente a cidadania ambiental na programação de painéis e debates, a sustentabilidade em todos os aspectos, da concepção à operação final, é um dos pilares para a realização da Bienal 2011.

O público sentirá a diferença desde o momento em que der o primeiro passo no pavilhão do Centro de Convenções. Todos os expositores estão recebendo um Manual de Sustentabilidade, que dá recomendações para o uso de materiais, a coleta seletiva, a distribuição de brindes, e informa sobre a presença de gestores ambientais que funcionarão como supervisores, em circulação permanente entre os estandes durante todo o evento. Haverá, ao final, premiação para os estandes qualificados como os mais sustentáveis.

“O nosso objetivo é contribuir para a disseminação de práticas ambientalmente responsáveis na sociedade, dando o exemplo a partir de normas de utilização e convivência no espaço da feira”, afirma o produtor Rogério Robalinho.

Com isso, espera-se ainda sensibilizar o grande público que frequenta a Bienal do Livro para a mudança de hábitos solicitada por uma época em que o respeito ao meio ambiente passa a ser visto como algo obrigatório não somente para a indústria, como também para consumidores e comerciantes, inerente à cultura que identifica o ser humano aos valores ambientais.

Atividades ecoeducativas serão desenvolvidas durante a programação do evento, que acontece de 23 de setembro a 2 de outubro, com palestras e oficinas abordando temas como reciclagem, educação ambiental, permacultura, água, economia solidária e compostagem. Qualquer participante, seja livreiro, editor ou leitor, será bem-vindo.
Para efetivamente dar o exemplo, a oitava Bienal Internacional do Livro contará com a Gestão Integrada dos Resíduos Orgânicos (Giro), com a separação de resíduos desde o momento de descarte, e a orientação de opções permanentes como ecobags, canecas, entre outras, para os expositores, buscando a redução máxima de rejeitos – resíduos impossíveis de reciclar.

Um dos focos da gestão sustentável na Bienal do Livro será justamente a reciclagem de papel, que receberá tratamento diferenciado na ação informativa e será objeto de oficinas específicas durante o evento.
O Coordenador de Sustentabilidade da oitava Bienal é o Educador Social, Thomas Enlazador. Para obter outros esclarecimentos sobre a pauta Sustentável da Bienal, ligue no telefone (81) 9708.2686 ou mande e-mail para ecopedagogia@gmail.com
Programação completa da VIII Bienal Internacional do Livro de Pernambuco

Confira alguns pontos do Manual do Expositor Sustentável da VIII Bienal Internacional do Livro:
Todos os expositores
Os Pontos de Coleta Seletiva são importantes para que os resíduos sejam destinados corretamente. Para facilitar o descarte, as lixeiras se dividem em 3 tipos:

Resíduos Secos Limpos: São as embalagens recicláveis em geral (plástico, vidro, metal e papel). Importante destinar, sempre que possível os resíduos limpos. Esses materiais serão destinados diretamente para cooperativas de catadores.
Resíduos Orgânicos: Todo o resto de comida que não for consumida (cascas, talos, sementes, etc). Os guardanapos, talheres de madeira e utensílios de papel devem ser jogados nesse lixo também. Toda essa matéria orgânica será levada para tratamento de compostagem, virando adubo orgânico. Evita-se assim, a contaminação dos solos e da água.

Rejeito: É o lixo que não será reciclado, e não é compostável. Nele, vão bitucas de cigarros, embalagens engorduradas, adesivos e fitas adesivas, clips, grampos, etc. Antes de colocar no rejeito, veja atentamente se o seu resíduo não se encaixa em outra opção.

Atenção nas opções de alimentos que ofereceremos. O consumo sustentável e a busca por alimentos saudáveis e integrais vem crescendo. Disponibilize no seu cardápio ou sala vip, pães, bolos e bolachas integrais; doces, salgados e sucos naturais.
Brindes e distribuição de material promocional: Procure imprimir o mínimo necessário e quando o fizer, opte por papel reciclado. Estudos demonstram que 95% dos materiais promocionais distribuídos em feiras, não são lidos. Seja criativo e divulgue sua marca com brindes e catálogos criativos e sustentáveis. Não exceda na distribuição de papeis.

Praça de alimentação
Quais os tipos de produtos descartáveis impactam menos o meio ambiente?
Podemos escolher materiais produzidos com matéria-prima vegetal (papel, madeira, etc), que rapidamente vão se decompor no meio ambiente. Então use sempre:
Talheres de madeira – Na Região Metropolitana do Recife não existe reciclagem para os talheres de plástico, logo eles acabam nos lixões ou nos bueiros atrapalhando a drenagem das ruas em dias chuvosos.

Copos e pratos de papel – Os copos e pratos de plástico também não têm reciclagem na nossa região e necessitam de uma reciclagem especial.
Geralmente estão sujos para o processo.
Sacos e saquinhos de papel – As sacolinhas plásticas já estão perdendo o espaço para as sacolas de papel e as reutilizáveis. As reutilizáveis podem se tornar uma boa forma de negócio complementar, atraindo novos clientes.

Sacolas resistentes de algodão, lona ou material reutilizável:
Crie promoções para os clientes, oferecendo ou vendendo a preço de custo, sacolas com o logo da empresa. Ação que cria valor agregado à empresa e contribui para uma Bienal Sustentável.
Fonte: Blog do Bienaldo – Bienal Interncional do Livro de Pernambuco