Prédio de antiga creche está abandonado em Maranguape II

Última atualização:

A falta de creches públicas é um grande problema para a população de Paulista/PE. Com apenas cinco instituições para atender uma população de mais de 300 mil habitantes, muitas famílias não conseguem acessar o serviço. A sensação de descaso da gestão para o problema se torna ainda maior quando observamos os prédios subutilizados ou abandonados na cidade e que poderiam ter esta finalidade.

É o caso de um prédio localizado na Rua 89, em Maranguape II. No local já funcionou uma creche privada com convênio com o município e, posteriormente, uma instituição de acolhimento de crianças sob responsabilidade da gestão municipal, até ser desativado. O pré-candidato a prefeito Fábio Barros esteve no espaço na quinta-feira (9) para entender a situação atual do imóvel.

“Eu lembro desse espaço do período em que fui Conselheiro Tutelar e aqui funcionava um centro de acolhimento para crianças e adolescentes. Sei que antes mesmo foi uma creche que recebia as crianças do bairro. Quando a gente pensa no déficit que Paulista tem em creches e vê um prédio como esse assim abandonado fica nítida a falta de vontade da gestão para resolver um problema tão grave em nosso município”, disse Fábio.

Abandono do equipamento público

Durante a visita, Fábio foi acompanhado da pré-candidata à vereadora e moradora de Maranguape II, Aline Cabral. Eles conversaram com os moradores do entorno que reclamaram das condições do imóvel e os riscos trazidos pelo abandono do local.

“Desde que foi fechado o centro, o prédio fica assim cheio de lixo na frente, o mato crescido, com o aspecto de abandonado mesmo. Muita gente acaba entrando e já houve até incêndio no final do ano passado, mas nada foi feito pela prefeitura para recuperar o local”, explicou Aline.

O local do imóvel pertence ao governo do estado desde que o espaço, que hoje é o bairro de Maranguape II, foi transformado em condomínio habitacional. Devido a função do espaço, áreas devem ser destinadas para determinados fins e serviços que atendam os moradores, como é o caso de instituições educacionais públicas e ambientes de convívio, por exemplo.

Sem a implementação desses equipamentos, muitos espaços passaram a ser ocupados por pessoas, como é o caso da área ao lado da antiga creche, onde deveria funcionar o mercado público de Maranguape II.

Importância das creches

“O equipamento precisa ser recuperado e servir de fato à população. Pensamos logo na creche porque além de assegurar um direito das famílias, também estimula a empregabilidade e consequentemente o desenvolvimento do município. Todo mundo ganha”, explicou Fábio.

A empregabilidade destacada por Fábio é uma demanda das mães e dos pais de crianças em Paulista. Sem um lugar público e de qualidade onde as crianças possam ser cuidadas durante o dia, muitos paulistenses ficam sem a possibilidade de trabalhar. Na maioria dos casos, são as mulheres que enfrentam essa problemática.

“Essa é uma reclamação geral das mulheres do bairro. Muitas mães solo ou sem apoio direto dos companheiros se veem impossibilitadas de estudar ou trabalhar. As creches que se encontram nos bairros são tipo hoteizinhos e por isso, espaços privados, a maioria das pessoas não tem condições de pagar. A creche pública mais próxima é a da Lagoa da Prata, que fica distante daqui”, disse Aline.

Além de possibilitar o engajamento dos pais em atividades profissionais, as creches garantem também segurança para as crianças e consequentemente, para as famílias. Nesses espaços, as crianças podem de fato ser assistidas por profissionais de apoio à primeira infância, ter os seus direitos resguardados e aproveitar o convívio com outras crianças, dando os primeiros passos no processo educacional.