Fábio sugere abordagem multidisciplinar na educação ambiental nas escolas do município

Última atualização:

Atividades contínuas e multidisciplinares. É assim que o biólogo Fábio Barros considera um projeto modelo de educação ambiental que tem como ponto de partida as escolas da rede municipal de Paulista/PE. “As gerações mais jovens são as grandes agentes de transformação no presente e no futuro do planeta e por isso, é importante fazê-las entender a importância de cuidar e proteger o meio ambiente”, disse.

O assunto é reforçado nesta quarta-feira (3), em que se celebra o Dia Nacional da Educação ambiental, sancionada por meio da Lei Federal 12.633. Entre os objetivos da data comemorativa estão o de demarcar a responsabilidade do Poder Público na implementação de políticas de educação ambiental em todos os níveis de ensino, além de realizar atividades constantes de conscientização pública para preservação.

Como define as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Ambiental do Ministério da Educação (MEC), a educação ambiental é uma dimensão da educação. Trata-se de uma atividade envolvida na realidade dos estudantes, que deve agregar ao desenvolvimento individual um caráter social para a relação positiva com a natureza e com os outros seres humanos. As ações intensificam essa atividade humana com a finalidade de torná-las um comportamento ético ambiental comum à população.

Para Fábio, as instituições de ensino muitas vezes têm dificuldade em inserir atividades relacionadas à temática pela necessidade de cumprir a carga horária do currículo escolar, por isso a necessidade do ensino ambiental ser tratado de forma multidisciplinar. “Para que a gente não mantenha a conscientização apenas em dias pontuais como o de hoje e também para torná-la uma prática comum no cotidiano das crianças, precisamos incluir o meio ambiente como tema de estudo em matemática, ciências, história e nas demais matérias da grade curricular”, explicou.

A importância da educação ambiental no ensino infantil e fundamental se deve também ao potencial multiplicador das crianças. A escola é o principal ator para a conscientização dos estudantes em relação às questões ambientais, que acabam levando para casa o conhecimento construído. Ao envolver a família e outros agentes da sociedade em projetos e atividades, os educadores conseguem ampliar ainda mais o raio de pessoas alcançadas pelas práticas educacionais, envolvendo-as num plano permanente de conservação.

A Constituição Federal define como dever das gestões federal, estadual e municipal o fortalecimento de uma consciência crítica da população sobre a problemática ambiental e social para o desenvolvimento da cidadania. A inserção de práticas educacionais, que ao mesmo tempo agreguem diversas áreas do conhecimento e envolvam a sociedade como um todo, é capaz de provocar mudanças efetivas na forma que a população enxerga a cidade e na forma que políticas de desenvolvimento são aplicadas.

A importância da educação ambiental no ensino infantil e fundamental se deve também ao potencial multiplicador das crianças. A escola é o principal ator para a conscientização dos estudantes em relação às questões ambientais, que acabam levando para casa o conhecimento construído. Ao envolver a família e outros agentes da sociedade em projetos e atividades, os educadores conseguem ampliar ainda mais o raio de pessoas alcançadas pelas práticas educacionais e envolvidas num plano permanente de conservação.