Café & Cidade – Segurança Pública

Última atualização:

O Café & Cidade de hoje fala de um tema muito importante para todos nós: Segurança Pública. Com a participação do Major Adalberto Barbosa e dos soldados Josias Ferreira e Keyton Andrade, pertencentes ao 17° Batalhão da Polícia Militar, o vereador Fábio Barros expõe algumas dificuldades enfrentadas no dia a dia desses policiais militares e quais medidas podem ser tomadas para que esses problemas sejam minimizados. Acompanhe abaixo, curta e compartilhe!

FÁBIO BARROS: Nas pesquisas, o assunto segurança pública está sempre entre os primeiros do ranking. Muitos atribuem o aumento da criminalidade à falta de policiamento nas ruas. O aumento do efetivo seria uma solução para o problema?

MAJOR ADALBERTO: O aumento do número de policiais militares nas ruas ajudaria bastante. No último concurso recebemos em torno de 62 novos integrantes. Hoje o 17° Batalhão da PM atende a seis municípios, entre eles: Paulista, Igarassu, Itapissuma, Itamaracá, Araçoiaba e Abreu e Lima, somando um total de 90 bairros atendidos. Se pensarmos que só em Paulista temos uma população de quase 350 mil habitantes, vemos que esse número ainda é pouco.

De acordo com a ONU, o ideal seria 1 policial militar a cada 400 habitantes, mas este número na verdade depende de algumas causas: cultura, economia, educação, etc. Contudo, acredito que só essa ação não resolveria. Estamos diante de uma enorme crise econômica. Muitos ficaram desempregados. Isso também é um indicador no aumento de crimes ocorridos.

A criminalidade aumenta por diversos fatores, e não só por conta do número reduzidos de policiais nas ruas.

FÁBIO BARROS: Quais seriam esses outros fatores?

MAJOR ADALBERTO: Podemos citar alguns fatores, são eles: estruturação do corpo técnico da polícia, a fim de cada vez mais qualificar os policiais militares e assim prestar um trabalho cada vez melhor nas ruas; a falta de punição adequada que nossa legislação penal dá aos criminosos, provocando a reincidência de alguns crimes cometidos; as desigualdades sociais de uma região, por exemplo, um lugar onde não tenha uma política pública efetiva para os jovens fazendo com que eles tenham um contato precoce com o mundo das drogas e do crime, e até a falta de iluminação pública nas ruas. Todos esses fatores de certa forma contribuem para o aumento desse quadro.

SOLDADO JOSIAS: Fábio existe algum projeto do legislativo no município de Paulista para à melhoria no trabalho desenvolvidos por policiais militares pertencente ao 17ºBPM?

FÁBIO BARROS: Tenho batido forte na questão para que o governo do estado transforme o 17º Batalhão numa unidade exclusiva para a cidade de Paulista, já que nesse momento ele atende a outros 6 municípios. Paulista cresceu muito e traz hoje características de cidade metropolitana. Somos a 6º maior cidade do estado de Pernambuco, precisamos pensar nisso.

O esporte na construção da cidadania

No contexto das políticas públicas para a juventude, o trabalho com o esporte tem sido uma excelente ferramenta encontrada para as principais estratégias de intervenção na vida de jovens e crianças, que se encontram muitas vezes em situação de vulnerabilidade social. Principalmente pelos argumentos educativos como disciplina e concentração, o esporte também pode ensinar valores como respeito ao próximo e superação de nossos próprios limites.

É o que acredita o professor e técnico da Seleção Pernambucana de Karatê, Rogério Barroca. Trabalhando com jovens a mais de 20 anos, Rogério sempre acreditou no poder transformador ao que o esporte representa. “Nesses mais de 20 anos de estrada vi muitas mudanças acontecerem na vida desses jovens. O esporte ensina conceitos que vão além de treinar o corpo a um bom condicionamento físico. Ele ensina valores de vida”. Com mais um desafio pela frente, Rogério agora se prepara para levar o atleta faixa marrom, José Salvino Neto, para o XIV Campeonato Brasileiro CBMA 2016, que trata-se de uma disputa nacional de artes marciais como Karatê, Kickboxing e Muay Thai.

Neto, que já participou de algumas disputas estaduais, agora se prepara pela primeira vez para representar seu estado. “Estou um pouco ansioso, mas confiante. Pratico karatê desde meus 10 anos. Começou por uma vontade de interagir com as pessoas, pois eu era uma criança muito tímida. Hoje o que me motiva de fato é a vontade de ser campeão”. Natural do município do Paulista, a atleta de karatê será o único na modalidade a representar o Estado de Pernambuco no campeonato, marcado para acontecer entre os dias 16 e 17 de setembro, em Brasília.

Com a ajuda de parceiros, outros jovens também poderão ter essa oportunidade. Com a iniciativa do vereador Fábio Barros, a ideia é que o incentivo ao esporte local ganhe cada vez mais destaque através de projetos que una sociedade e poder público. “O incentivo ao esporte e a valorização do atleta local tem que ser uma prática constante na vida do poder público no que diz respeito a construção de políticas públicas eficientes. Temos um projeto onde trabalharemos com 50 jovens, entre crianças e adolescentes, e cada um terá um padrinho, ou seja, um adulto ficará responsável em ajudá-lo e patrociná-lo como atleta. Sabemos que nem toda criança irá se transformar em um atleta de performance, mas a ideia é dar-lhe um objetivo de vida, uma mudança na forma de ser e pensar desse jovem dentro de sua comunidade”, enfatiza o vereador.